Ir direto para menu de acessibilidade.
>Legislação > Súmulas > Súmula nº 5, de 17 de agosto de 2000


Súmula nº 5, de 17 de agosto de 2000

Publicado: Sexta, 18 Agosto 2000 19:23 | Última atualização: Sexta, 17 Janeiro 2020 11:31 | Acessos: 3620

Observação: Este texto não substitui o publicado no DOU de 18/8/2000.

 

O CONSELHO DIRETOR DA AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES - ANATEL, no uso das atribuições que lhe foram conferidas pelo artigo 22 da Lei nº 9.472, de 16 de julho de 1997, e pelo artigo 35 do Regulamento da Agência Nacional de Telecomunicações, aprovado pelo Decreto nº 2.338, de 7 de outubro de 1997,

CONSIDERANDO que compete à Anatel deliberar na esfera administrativa quanto à interpretação da legislação de telecomunicações, conforme disposto no inciso XVI do artigo 19 da Lei nº 9.472, de 1997;

CONSIDERANDO que a prestação do Serviço Telefônico Fixo Comutado destinado ao uso do público em geral (STFC) nas modalidades Local, Longa Distância Nacional e Longa Distância Internacional tem em conta que os contratos são celebrados com cada uma das prestadoras, por adesão, quando da habilitação do assinante junto à Prestadora do Serviço na modalidade Local;

CONSIDERANDO que as prestadoras de STFC estão obrigadas ao fornecimento de relação de seus assinantes, incluindo nomes, endereços e respectivos códigos de acesso, para divulgação de lista de assinantes, em prazos e a preços razoáveis e de forma não discriminatória, observado o direito dos assinantes quanto à não divulgação de seu código de acesso, caso requeiram;

CONSIDERANDO que é assegurado às prestadoras o direito à obtenção de todas as informações que sejam necessárias para a prestação do serviço a elas outorgado, sobretudo para possibilitar o correspondente faturamento e cobrança;

CONSIDERANDO deliberação tomada em sua Reunião nº 128, realizada em 16 de agosto de 2000,

RESOLVE editar a presente Súmula:

“As informações sobre os assinantes, constantes da base cadastral de prestadora de serviço de telecomunicações, necessárias à prestação de serviço por outra prestadora ou para a realização de atividade vinculada direta ou indiretamente ao serviço por entidade legitimamente interessada, conforme regulado pela Agência, devem ser fornecidas exclusivamente com a finalidade estabelecida na regulamentação aplicável, em condições isonômicas, justas e razoáveis, assegurada a sua atualização e publicidade dos termos contratuais.

Em caso de cobrança pelo fornecimento das informações, levar-se-á em conta, unicamente, o custo incorrido para sua efetivação, que poderá ser acrescido, quando destinado à divulgação de lista de assinantes, de margem que permita remuneração que não altere as condições econômico-financeiras de prestação do serviço.”

Esta Súmula entra em vigor na data de sua publicação.

RENATO NAVARRO GUERREIRO
Presidente do Conselho

Nós protegemos seus dados

Saiba como usamos seus dados em nosso Aviso de Privacidade. Ao clicar em “Aceitar”, você concorda com os Termos de Serviço e a Política de Privacidade da Anatel.