Ir direto para menu de acessibilidade.
>Legislação > Portarias de Delegação > Portaria nº 50601, de 11 de dezembro de 2015 (REVOGADA)


Portaria nº 50601, de 11 de dezembro de 2015 (REVOGADA)

Publicado: Terça, 15 Dezembro 2015 18:08 | Última atualização: Terça, 23 Agosto 2022 15:43 | Acessos: 488
Revogada pela Portaria nº 1620, de 26 de Setembro de 2018

Delega competência para autorização, em casos excepcionais, devidamente justificados e no interesse da Administração Pública Federal, da utilização dos serviços corporativos de comunicação de voz e de dados; e dá outras providências.

 

Observação: Este texto não substitui o publicado no DOU de 15/12/2015.

 

O PRESIDENTE DA AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES, no uso das atribuições que lhe foram conferidas pelo art. 32, da Lei nº 9.472, de 16 de julho de 1997, e o art. 46, do Regulamento aprovado pelo Decreto nº 2.338, de 7 de outubro de 1997; e

CONSIDERANDO as disposições do parágrafo único do art. 12 do Decreto-Lei nº 200, de 25 de fevereiro de 1967;

CONSIDERANDO o art. 114 do Regimento Interno da Anatel, aprovado pela Resolução nº 612, de 29 de abril de 2013;

CONSIDERANDO as disposições do Art. 6º, inciso VII, do Decreto nº 8.540, de 9 de outubro de 2015;

CONSIDERANDO a necessidade de assegurar o implemento das medidas de racionalização do gasto público na utilização de telefones celulares corporativos e outros dispositivos, estabelecidas pelo Decreto nº 8.540, de 9 de outubro de 2015;

CONSIDERANDO as correlações de cargos estabelecidas pela Portaria MPOG nº 186, de 17 de agosto de 2000

CONSIDERANDO o constante dos autos do processo nº 53500.206980/2015-72;

 RESOLVE:

Art. 1º  Delegar à Superintendência de Gestão Interna da Informação – SGI, a competência para autorizar, em casos excepcionais, devidamente justificados e no interesse da Administração Pública Federal, a utilização dos serviços corporativos de comunicação de voz por meio de telefonia móvel e de dados por meio dos dispositivos do tipo celular, tablet e modem, por outros servidores não ocupantes de cargos em comissão do Grupo-Direção e Assessoramento Superiores - DAS de níveis 5, 6 e equivalentes.

Art. 2º. Para atendimento das excepcionalidades previstas no caput do art. 1º deverá ser encaminhado pedido fundamentado, por meio de formulário próprio definido pela Superintendência de Gestão Interna da Informação – SGI, a quem competirá a apreciação e decisão quanto ao pedido.

§ 1º. A demonstração do interesse da administração pública federal que será alcançado pelo atendimento à excepcionalidade e a definição dos servidores que farão uso dos serviços deverão expressamente constar dos pedidos de que trata no caput deste artigo, competindo sua formalização e encaminhamento à SGI aos responsáveis pelos seguintes órgãos:

I - Assessoria de Relações com os Usuários – ARU;

II - Assessoria de Relações Institucionais – ARI;

III - Assessoria Internacional – AIN;

IV - Assessoria Parlamentar e de Comunicação Social – APC;

V - Assessoria Técnica – ATC;

VI - Auditoria Interna – AUD;

VII - Corregedoria - CRG;

VIII - Gabinete da Presidência – GPR;

IX - Gabinetes de Conselheiro;

X - Ouvidoria - OV;

XI - Procuradoria Federal Especializada junto à Anatel – PFE;

XII - Secretaria do Conselho Diretor – SCD;

XIII - Superintendência de Administração e Finanças – SAF;

XIV - Superintendência de Competição – SCP;

XV - Superintendência de Controle de Obrigações – SCO;

XVI - Superintendência de Fiscalização – SFI;

XVII - Superintendência de Gestão Interna da Informação – SGI;

XVIII - Superintendência de Outorga e Recursos à Prestação – SOR;

XIX - Superintendência de Planejamento e Regulamentação – SPR;

XX - Superintendência de Relações com Consumidores – SRC; e

XXI - Superintendente Executivo – SUE.

§ 2º. Os pedidos referentes à continuidade da utilização por atuais usuários dos serviços corporativos de comunicação de voz e de dados afetados pelas restrições definidas por esta Portaria deverão ser encaminhados à SGI em até 10 (dez) dias após publicação desta Portaria.

§3º. O atendimento dos pedidos excepcionais pela SGI fica condicionado às limitações de gastos e reduções contratuais definidas pelo art. 2º do Decreto nº 8.540/2015, podendo essa Superintendência, se necessário, priorizar a solução dessas demandas.

Art.3º  O prazo da delegação, conferida nos termos do artigo anterior, é indeterminado.

Parágrafo único. A presente delegação não envolve a perda, pelo delegante, dos correspondentes poderes, sendo-lhe facultado, quando entender conveniente e a qualquer tempo, exercê-los mediante avocação, sem prejuízo da validade da delegação.

Art. 4º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação.

JOÃO BATISTA DE REZENDE 
Presidente

Nós protegemos seus dados

Para melhorar a sua experiência na plataforma e prover serviços personalizados, utilizamos cookies. Saiba como usamos seus dados em nosso Aviso de Privacidade. Ao clicar em “Aceitar cookies”, você concorda com os Termos de Serviço e a Política de Privacidade da Anatel e terá acesso a todas as funcionalidades do site.